Álcool e saúde bucal: saiba o impacto negativo

Álcool e saúde bucal: saiba o impacto negativo

O consumo regular de bebidas alcoólicas é comum, pois é socialmente aceitável na maioria da população mundial. Entretanto, pouco se fala sobre o álcool e saúde bucal.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 2,3 bilhões de pessoas bebem álcool em pelo menos três continentes. Isso equivale a 6,4 litros de álcool puro por indivíduo.

Os efeitos do álcool podem causar problemas de saúde graves e permanentes, deixar os pacientes com danos cerebrais, pelagra, gastrite e levar a doenças bucais, como periodontite ou uma maior tendência a desenvolver câncer bucal.

Neste artigo, vamos falar sobre todos os efeitos do consumo do álcool na saúde dentária. Continue lendo!

Doenças que podem ser causadas pelo consumo de álcool

Quando o álcool está presente no sangue, ele altera o processo de absorção de nutrientes, resultando em deficiências como as vitaminas B1, B6, B12 e C.

As deficiências desses nutrientes são uma das principais causas de anemia, danos nos nervos, neuropatia, depressão, úlceras na boca e inflamação da pele.

Além desses sintomas, o uso excessivo dessa substância pode levar a outras doenças, como:

  • Hepatite alcoólica;
  • Cirrose hepática;
  • Transtornos de Humor;
  • Polineurite;
  • Úlceras na pele.

O alcoolismo também pode prejudicar os procedimentos cirúrgicos, prejudicar a anestesia e dificultar a recuperação.

Isso ocorre porque beber essas bebidas pode dilatar as veias e aumentar o inchaço e a inflamação na área, o que acaba levando à rejeição de tratamentos como o implante dental.

Efeitos do álcool na saúde bucal

O alcoolismo pode gerar um grande impacto na saúde bucal, seja na estrutura dos dentes, nas mucosas, ou em cirurgias anteriores.

Isso ocorre principalmente porque o álcool desidrata o corpo e também é um diurético que reduz o fluxo de saliva na boca. Por sua vez, o líquido gerado pelas glândulas salivares é protetor e ajuda a combater a proliferação bacteriana.

Este ambiente seco é ideal para o crescimento de bactérias orais que causam cáries, placa bacteriana e inflamação das gengivas.

Além disso, níveis mais baixos de pH podem levar ao desgaste do esmalte e deficiência de cálcio — o que pode enfraquecer a estrutura do dente e da mandíbula.

Ao entrar em contato com essa superfície desgastada, o contato do pigmento de bebidas mais escuras como o whisky pode atrapalhar a eficácia de procedimentos como o clareamento dental, resultando em manchas mais profundas e mais difíceis de tratar.

O vinho e a saúde bucal

Curiosamente, cientistas descobriram que o vinho tinto pode ajudar no combate à cárie e outras doenças bucais.

De acordo com pesquisa publicada no Journal of Agricultural and Food Chemistry, a bebida contém ingredientes antibacterianos que ajudam a matar bactérias em testes de laboratório simulados.

No entanto, é importante saber que o vinho tinto também pode manchar os dentes.

Para evitar manchas, especialistas indicam não ingerir a bebida em excesso e, também, comer alimentos ricos em fibras para soltar e esfregar o vinho antes das manchas.

Como evitar o consumo excessivo de álcool?

Caso o paciente tenha uma relação de dependência com o álcool, pode-se consultar um especialista para obter tratamento especializado à cada condição e, após a remissão do vício, podem ser realizados procedimentos para a restauração da saúde geral e integridade bucal.

Nesse caso, dependendo do vício e do acompanhamento adequado do dentista, pode-se verificar o custo de, por exemplo, facetas de resina para restaurar estruturas com manchas mais profundas ou dentes quebrados. 

No entanto, em geral, algumas mudanças na vida diária também podem ajudar a reduzir o consumo de álcool e potencializar os cuidados bucais para assim, manter a qualidade da saúde e prevenir outros problemas bucais que possam surgir. Confira:

  1. Determine recompensas

Os sistemas de recompensa são essenciais para desenvolver novos hábitos. Isso porque o cérebro gosta de repetir tarefas prazerosas, então substituir cerveja ou vinho por atividades prazerosas e relaxantes pode promover hábitos mais positivos.

Além disso, tenha em mente que as tarefas devem ser entendidas como pequenas metas para o resultado final. Portanto, recompensar-se pode ser benéfico ao associar tais atividades ao prazer que as recompensas geram.

  1. Permita-se a fazer refeições que te deixem feliz

Investir em alimentos que você sente prazer como chocolate, banana e mel pode estimular a produção de serotonina e dopamina, o que pode ajudar a controlar o humor e reduzir a ansiedade.

Só não se esqueça de maneiras nas quantidades e higienizar corretamente os dentes e o aparelho — caso faça tratamento de ortodontia invisível ou comum, para não correr o risco de irritar as bactérias orais e piorar a inflamação das gengivas e cáries.

  1. Acompanhamento odontológico

Se você tem o hábito de beber regularmente, recomenda-se uma consulta ao dentista a cada seis meses.

Visitas regulares ao consultório odontológico são essenciais para qualquer paciente, mas pessoas com lesões orais frequentes causadas pelo álcool devem consultar o médico com mais frequência.

Essas consultas auxiliam você a manter seus dentes belos e saudáveis e, até mesmo, identificar a necessidade de um tratamento como a inserção de implante dentário, por exemplo.

Saúde